quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Menina de oito anos de idade, forçada a tomar vacina contra a vontade da mãe após decisão judicial


Uma mãe australiana que desesperadamente tentou com todas as suas forças proteger sua filha de envenenamento por vacina perdeu a batalha, de acordo com News.com.au  . Tirania judicial na região de Vitória da Austrália recentemente decidiu que a menina de oito anos de idade, cuja mãe havia escolhido alimentar sua filha com produtos orgânicos, biodinâmica, e não com alimentos processados, teria de submeter à menina ao calendário de vacinas a partir de agora para o futuro. A mãe, que não foi publicamente chamada devido a restrições legais, tinha tomado à decisão consciente de nunca vacinar sua filha. Em vez disso, a mãe escolheu, imunizações homeopática que é livres de efeitos colaterais, além de alimentos  saudáveis e água limpa, e expondo-a ao ar fresco.Mas o problema surgiu quando a pouco o pai da menina, que é divorciado da mãe e vive em outro lugar, decidiu ter a menina vacinada, enquanto em sua custódia. Segundo relatos, o pai secretamente permitiu sua nova esposa levar a menina a um centro médico e vacinar a menina contra difteria, coqueluche, tétano (coqueluche), hepatite B, poliomielite, HIB, sarampo, caxumba e rubéola ( MMR) e meningocócica C, em total violação da confiança da mãe.


Estado decide remédios homeopáticos são 'ineficazes', para ordenar sua mãe  injetar em sua filho com veneno

Todo o trabalho de dedicação que a mãe da jovem tinha investido em manter sua filha a salvo de ser injetada com formaldeído, mercúrio (timerosal), alumínio, glutamato monossódico (MSG), e as dezenas de adjuvantes químicos comumente adicionados às vacinas, em outras palavras, foi destruído em um instante com apenas uma única visita secreta a um escritório médico. E o ex-marido vingativo que permitiu que tudo isso acontecesse disse a um tribunal de família mais tarde que ele havia planejado para continuar "secretamente vacinando a menina contra a vontade de sua mãe. A mãe, cujas esperanças para a saúde de sua filha, tentou impedir o ex-marido de continuar a ter a menina vacinada mediante a apresentação de uma liminar contra ele. Mas quando a questão foi finalmente levada perante a família, o tribunal do juiz Victoria Bennett, foi determinado, porque um pediatra sênior do Hospital Infantil Royal pessoalmente acreditava que não havia provas suficientes para provar a eficácia de vacinas homeopáticas, a mãe da menina teria que continuar a ter sua filha vacinada de acordo com o calendário de vacinas oficial. Então, o Estado mais uma vez fez a determinação final sobre o que será forçosamente injetado no corpo de uma criança, provando que a soberania dos pais não é mais reconhecida e respeitada por muitos que ocupam posições de poder no governo. E se os pais já não são livres para escolher que procedimentos médicos são apropriados para seus próprios filhos, então não há mais liberdade e a tirania ganhou. Fontes para este artigo incluem: http://www.news.com.au http: / / news / www.itsmyhealth.com.au / mãe-ordenada-a-vacinar criança

Fonte: OLHAR PARA O FIM
//portrazmidiamundial.blogspot.com.br/2012/12/menina-de-oito-anos-de-idade-forcada.html

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário